Plano Nacional de DAE/CVP

“UM DAE SALVA VIDAS“
Plano Nacional de Desfibrilhação Automática Externa da Cruz Vermelha Portuguesa

Enquadramento
Decreto-Lei 188/2009, de 12 de Agosto, que regula na ordem jurídica portuguesa a utilização de desfibrilhadores automáticos externos (DAE) por não médicos em ambiente extra-hospitalar no âmbito quer do Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM), quer de programas de acesso público à desfibrilhação.

Pretende-se, desta forma, facultar o acesso generalizado a meios de socorro adequados às necessidades de um significativo número de vítimas, visando assim uma diminuição das mortes evitáveis por eventos cardiovasculares.

Em 8 de agosto de 2012, foi publicada a primeira alteração ao Decreto-Lei 188/2009 de 12 de agosto, através do Decreto-Lei 184/2012 que veio tornar obrigatória a instalação de equipamentos de DAE em determinados locais de acesso público, nomeadamente nos estabelecimentos comerciais de dimensão relevante.

A instalação de DAE é obrigatória desde o dia 1 de setembro de 2014 nos seguintes locais:

  • Estabelecimentos de comércio a retalho, isoladamente considerados ou inseridos em conjuntos comerciais, que tenham uma área de venda igual ou superior a 2.000 m2;
  • Conjuntos comerciais que tenham uma área bruta locável igual ou superior a 8.000 m2;
  • Aeroportos e Portos Comerciais;
  • Estações ferroviárias, de metro e de camionagem, com fluxo médio diário superior a 10.000 passageiros;
  • Recintos desportivos, de lazer e de recreio, com lotação superior a 5.000 pessoas.

A Cruz Vermelha Portuguesa forma Operacionais DAE com capacidade para atuarem nos diferentes cenários de emergência, dotando-os de equipamentos e meios, por forma a diminuir o tempo de resposta com a utilização do DAE na cadeia de sobrevivência, ao proceder à reanimação e/ou estabilização, aumentando assim a probabilidade de sobrevivência das vítimas ou sinistrados tendo em conta que “uma vida não tem preço”.

O Programa DAE/CVP apresenta-se numa modalidade de contratualização para a prestação de serviços pela Cruz Vermelha Portuguesa a Entidades e inclui formação, implementação, licenciamento, gestão e acompanhamento, auditoria e controlo de qualidade de Programa DAE.

Para mais informações sobre o PNDAE/CVP, contatar pelo email  Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar


SOCORRISMO DE PROXIMIDADE E MOCHILA DE PRIMEIROS SOCORROS (não incluídos) – os Operacionais DAE podem prestar e assegurar um socorro próximo nas várias vertentes, face a outros acidentes de ocorrência comum, com formação e equipamento adequados, nomeadamente com um curso de 24 horas e uma mochila com carga própria para uma situação de socorro. Para obter mais informações, clique aqui.