Riscos associados à exposição ao fumo resultante dos incêndios e medidas de protecção
fumo2   
Considerando a actual vaga de incêndios em Portugal, divulgamos informação da Direcção Geral de Saúde sobre os riscos associados à exposição ao fumo resultante de incêndios florestais, assim como as medidas de protecção a adoptar pelas populações. 
 
O fumo proveniente dos incêndios pode ter efeitos nocivos a nível respiratório, cardiovascular e oftalmológico, entre outros. 
 
Os principais sintomas incluem irritação nos olhos, nariz e garganta, tosse persistente, sensação de falta de ar, dor ou aperto no peito e fadiga. 
 

O que fazer:

  • Evite a exposição ao fumo, mantendo-se dentro de casa, com janelas e portas fechadas, em ambiente fresco. Ligue o ar condicionado, se possível, no modo de recirculação de ar.

  • Evite actividades ao ar livre.

  • Evite a utilização de fontes de combustão dentro de casa, como aparelhos a gás ou lenha, tabaco, velas, incenso, entre outros.

  • Utilize máscara/respirador (N95) sempre que a exposição for inevitável.

  • Mantenha a medicação habitual (se tiver doenças associadas, como asma e doença pulmonar obstrutiva crónica - DPOC) e siga as indicações do médico perante o eventual agravamento das queixas.

  • Mantenha-se informado, hidratado e fresco.

 
Para mais informações, ligue para o SNS 24 (808 24 24 24) ou consulte www.dgs.pt. 
 
Em caso de emergência, ligue 112.