Linha CVPnr fiscal cvp 55d50 Subscrever Newsletter Doar

Pesquisa Facebook Twitter Flickr redes youtube

Encontre aqui a Cruz Vermelha mais próxima de si.

quarta, 06 junho 2018 15:10

Equipa médica da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho enviada para resposta ao Ébola.

Uma equipa médica da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) foi deslocada para o centro do surto de Ébola na República Democrática do Congo (RDC). A equipa – constituída por médicos, enfermeiros e especialistas em água e saneamento de seis Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha – irá apoiar cinco Centros de Saúde na cidade de Mbandaka para impedir a propagação da doença e apoiar as pessoas que foram infectadas. Até agora, 25 pessoas foram mortas pelo vírus.

Chiran Livera, que se encontra a liderar a operação de emergência da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV), afirmou:
"Foram detectados novos casos suspeitos do vírus Ebola em áreas rurais, e tememos que se forem detectados novos casos as instalações de saúde possam ficar sobrecarregadas. É, portanto, vital para as instalações e trabalhadores de saúde terem acesso a suporte adicional e experiência nesse domínio."
A equipa irá aconselhar os funcionários de saúde local sobre o controlo de prevenção de infecção pelo Ébola para que os profissionais de saúde e outros pacientes estejam protegidos contra nova transmissão da doença.
"Ao contrário de muitas outras doenças, a gestão do Ébola requer uma meticulosa e rigorosa avaliação. Para chegar à frente desta doença e contê-la antes que se espalhe para outras cidades e para além das fronteiras da República Democrática do Congo, é necessário pessoal adicional para assegurar uma avaliação adequada e uma prevenção de infecção e controlo para os pacientes," disse Livera.
A FICV e a Cruz Vermelha Congolesa estão a trabalhar como parte de uma resposta coordenada maior ao lado de autoridades governamentais, da Organização Mundial de Saúde e outros parceiros nacionais e internacionais.
Juntamente com o envio desta equipa de especialistas, os voluntários da Cruz Vermelha estão expandindo a sua actuação em quatro províncias vizinhas, com actividades destinadas a assegurar que as comunidades estão preparadas e conseguem dar resposta ao surto, no caso de o Ébola se espalhar nessas áreas. A FICV também está a trabalhar com as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha do Crescente Vermelho de nove países vizinhos da República Democrática do Congo para activar mecanismos de preparação e prontidão.

Para mais informações sobre o surto de Ébola clique aqui