PayPalMB WAYnr fiscal cvp 55d50 Subscrever Newsletter Doar

Pesquisa Facebook Instagram Twitter Flickr redes youtube

Encontre aqui a Cruz Vermelha mais próxima de si.

quarta-feira, 17 fevereiro 2021 10:29

Moçambique: CICV aumenta a resposta humanitária

Deu-se por terminada a visita oficial do Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) a Moçambique, onde estiveram reunidos Peter Mauer, Presidente do CICV e Filipe Nyusi,  Presidente da República de Moçambique com o propósito de debater a ajuda e resposta à crise humanitária na província de Cabo Delgado, no norte do país. Neste encontro estabeleceu-se que em 2021 o CICV vai reforçar os seus programas de formação na promoção do Direito Internacional Humanitário (DIH) para portadores de armas. Há mais de 40 anos que o CICV trabalha em Moçambique, nomeadamente desde a guerra civil e nas províncias centrais em estreita colaboração com a Cruz Vermelha de Moçambique.

O povo moçambicano enfrenta hoje uma tripla crise humanitária com ameaças devido às alterações climáticas, à Pandemia COVID-19 e ao conflito armado. Continuamos ao lado de Moçambique nestes tempos difíceis e iremos aumentar o nosso apoio”, salientou Peter Mauer.

Desde o início de 2019 que mais de 500 mil pessoas fugiram da província de Cabo Delgado, no norte do país, após o aumento da violência, refugiando-se em zonas urbanas e periféricas, como Pemba, Montepuez, e Metuge. Este fenónemo aumentou a pressão sobre as comunidades e infraestruturas frágeis, nomeadamente os serviços de saúde. “As instalações e o pessoal de saúde foram afetados duplamente, pelo Ciclone Keneth e pela violência que causou a fuga de profissionais de Saúde e a destruição de mais infraestruturas, incluindo aquelas reabilitadas no pós-ciclone”, referiu Peter Mauer.

Da avaliação elaborada por especialistas de Saúde do CICV, constatou-se que 39 das 55 Unidades de Saúde em 9 distritos afetados pelo conflito não estão operacionais. Devido a condições de instabilidade, 686 profissionais de saúde abandonaram o seu posto de trabalho. No final de Maio de 2020, depois de um ataque à cidade de Macomia, quase toda a população fugiu para o campo. Os equipamentos estruturais, nomeadamente a maternidade, única na cidade e que havia sido reabilitada pelo CICV após o ciclone, foram destruídos.

Este ano o CICV vai reabilitar nove Centros de Saúde Primários em Pemba, bem como apoiar hospitais também em Pemba e Montepuez, especializados no tratamento de lesões traumáticas. Continuará a apoiar o centro de tratamento COVID-19 Décimo Congresso, reabilitado com doações de material de saúde e higiene, ajudar as comunidades deslocadas e anfitriãs na procura dos seus entes queridos ou restabelecer contacto com os mesmos, doar equipamentos domésticos essenciais, sementes, ferramentas e kits de pesca para ajudar as comunidades a reconstruir as suas vidas. Por fim, o CICV vai apoiar iniciativas que contemplem condições adequadas de detenção e tratamento dos detidos.

 

CVP em Moçambique

Recorde-se que a Cruz Vermelha Portuguesa apoiou as obras de reparação da cobertura do Centro de Saúde Urbano de Macurungo, reconstruído com a ajuda do Povo português,  afetado pelo Ciclone Eloise no passado dia 17 de janeiro. 

Saiba mais aqui. 

Partilhar