PayPalMB WAYnr fiscal cvp 55d50 Subscrever Newsletter Doar

Pesquisa Facebook Instagram Twitter Flickr redes youtube

Encontre aqui a Cruz Vermelha mais próxima de si.

segunda-feira, 04 outubro 2021 15:07

Nova campanha #ClimateChangedMe soa como um alarme global: “A Crise Climática está aí, e precisamos agir agora”

A campanha #ClimateChangedMe visa aumentar a consciencialização sobre a crise climática e inspirar as pessoas a envolverem-se, conversar, e pressionar os seus líderes para a gestão da mudanças climáticas.

As Sociedades da Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho lançaram hoje, 4 de Outubro de 2021, em Genebra, uma campanha inovadora demostrando o impacto das alterações climáticas na vida das pessoas em todo o mundo.

A campanha #ClimateChangedMe dá uma volta num livro típico de “autoajuda” e apresenta as alterações climáticas como a “experiência definitiva de mudança de vida”.

Antes do lançamento da campanha a FICV reuniu mais de 100 membros da comunidade, voluntários e ativistas, incluindo Greta Thunberg e o movimento ativista Fridays for Future. Durante um pequeno vídeoclip, as pessoas descrevem como a crise climática já teve impacto nas suas vidas e perguntam: “O clima mudou-me. Irá a minha história mudá-lo?”. Na preparação para a COP26, a campanha gerada vai continuar a reunir histórias que serão divulgadas em e-book.

Falando sobre a campanha #ClimateChangedMe, Greta Thunberg disse:

A crise climática não é um problema desconhecido que possamos adiar. Ela está aqui agora e já teve impactos catastróficos na vida das pessoas. Em todas as regiões do mundo, as pessoas já estão a sentir o impacto das alterações climáticas no seu dia-a-dia, mas aqueles que vivem nas áreas mais afetadas estão a ser atingidos de forma desproporcional, apesar de serem os que menos contribuem para isso. Queremos que esta campanha espalhe a consciência e inspire as pessoas a envolverem-se, a falar e a pressionar os seus líderes.”

A crise climática ficou por baixo da agenda global enquanto as nações lutam para combater a disseminação da COVID-19 e minimizar os seus impactos imediatos e de longo prazo na saúde e nas economias. Desde o início da pandemia eventos climáticos extremos afetaram a vida de mais de 139 milhões de pessoas e mataram mais de 17,000.

Francesco Rocca, Presidente da FICV, , disse:

A mudança climática já está a afetar as nossas vidas e vai piorar. Nenhuma região no mundo foi poupada pelos impactos devastadores de eventos climáticos extremos. Antes da COP26, solicitamos aos líderes mundiais que façam compromissos concretos, não apenas para reduzir emissões de gases de efeito de estufa e cumprir as metas estabelecidas no Acordo de Paris até 2050, mas também para enfrentar os impactos humanitários existentes e iminentes das alterações climáticas, investindo na adaptação comunitária, sistemas de antecipação e ação local. Todos os dias testemunhamos o impacto das mudanças climáticas causadas pelo homem. A crise climática está aqui, e nós precisamos agir agora.”

Em 2050, 200 milhões de pessoas todos os anos poderão precisar de assistência humanitária como resultado de uma combinação de desastres relacionados ao clima e impacto socioeconómico das mudanças climáticas.

Eric Njuguna da Friday for Future referiu:

Tudo se resume apenas a uma criança e essa criança é irmão, melhor amigo, ou primo de alguém. Fridays for Future aderiram à campanha #ClimateChangedMe para humanizar os números.”

A campanha #ClimateChangedMe também mostra histórias de resiliência e lança luz no papel dos voluntários da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho em todo o mundo na preparação das comunidades para prevenir e se adaptar aos riscos climáticos.

Partilhar