PayPalMB WAYnr fiscal cvp 55d50 Subscrever Newsletter Doar

Pesquisa Facebook Instagram Twitter Flickr redes youtube

Encontre aqui a Cruz Vermelha mais próxima de si.

sexta-feira, 26 outubro 2018 11:46

Cruz Vermelha Portuguesa participa em exercício Militar

A Cruz Vermelha Portuguesa participa no EUROGENDFOR LIVEX (EGEX18), um exercício organizado pela Guarda Nacional Republicana que decorre desde o dia 22 de Outubro e termina hoje, nas instalações da antiga Lisnave, em Almada, com o Distinguished Visitors Day (DVD), simulando os seguintes cenários: [1] Acção de formação a elementos da Polícia Local; [2] Transporte marítimo de deslocados e encaminhamento para um campo de deslocados; [3] Atentado contra uma Alta Entidade, com alteração e restabelecimento da Ordem Pública; [4] Inactivação de um carro-bomba; [5] Resposta a um atentado terrorista, através de forças de Operações Especiais, empenhando um helicóptero; [6] Visita a um campo de deslocados, guarnecido pela Cruz Vermelha Portuguesa.

Esta iniciativa resulta de um esforço conjunto entre autoridades de 9 países e baseia-se na encenação de cenários de actuação, salientando contextos de tensões políticas, divergências étnicas, situações de reféns, tratamento e recepção de deslocados, exemplificando cenários já experienciados e treino para situações futuras.

Com um dispositivo operacional que integra socorristas, médicos, enfermeiros e psicólogos, distribuídos pelas zonas de triagem, posto médico avançado e zona de alojamento temporário, a Cruz Vermelha assume particular destaque na intervenção em cenários de acolhimento de deslocados e na garantia do apoio médico a todo o exercício no play, ou seja, a todos os jogadores ao longo dos 4 dias de treino.

 A participação da Cruz Vermelha neste exercício, com recriação de campos IDP (Internally Displaced Person), permite avaliar a capacidade de resposta em cenários de múltiplas vítimas, as necessidades materiais, a sustentabilidade das estruturas, a capacidade de mobilização de recursos, a esquematização do terreno, a organização dos meios, a operacionalização de metodologias e, não menos relevante, fortalecer a articulação entre as entidades envolvidas.

Partilhar