PayPalnr fiscal cvp 55d50 Subscrever Newsletter Doar

Pesquisa Facebook Instagram Twitter Flickr redes youtube

Encontre aqui a Cruz Vermelha mais próxima de si.

quarta-feira, 17 julho 2019 14:08

Ponto de situação n.º 91 – Moçambique

Seguiu ontem a última equipa médica para a Beira, onde ainda se encontra o Hospital de Campanha da Cruz Vermelha Portuguesa para apoio às vítimas do ciclone Idai.   

Em rotação a cada 25 dias, integraram o dispositivo do Hospital de Campanha, na Beira, cerca de 20 elementos, designadamente, médicos, enfermeiros, psicólogos, farmacêuticos, logísticos e administrativos bem como uma chefe de equipa. Ressalva-se o facto de este Hospital ter sido, ao longo de todo o tempo, o hospital de referência das equipas humanitárias no terreno.

Dados atualizados revelam mais de 4.500 atendimentos, 3.037 consultas e 1.534 cirurgias e 130 partos.

Todos os apoios recebidos publicados online no âmbito da Operação Embondeiro foram de grande importância para o apoio humanitário que a Cruz Vermelha Portuguesa e a Médicos do Mundo têm desenvolvido no país.

Foram angariados, até ao momento 2.490.856,46 euros discriminados na página da transparência, cujas despesas estão igualmente públicas.

Por forma a potenciar a angariação de fundos para a ajuda Humanitária na Beira, promoveu-se a iniciativa Músicos por Moçambique, que contou com o apoio do João Gil e do Rui Veloso e envolveu a multinacional Altice e Sapo Portugal. Artistas dos mais diversificados estilos enviaram, de forma voluntária, vídeos e músicas que associaram a uma linha de valor acrescentado (761 202 222). Por cada chamada continuam a ser angariados 1€ + IVA.

A Cruz Vermelha Portuguesa enviou, por via aérea e marítima, mais de 150 toneladas de donativos em géneros, sobretudo alimentos.

Iniciou, no presente mês, a reconstrução do Centro de Saúde e Maternidade de Macurungo/Beira cuja obra será inaugurada pelo Presidente da República Portuguesa até ao final do ano.

Para a fase da capacitação dos técnicos de saúde locais se estende até ao término da obra, foram envolvidas as Escolas Superiores da Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa e foi elaborado um plano formativo adaptado à realidade do país beneficiário.

Prevê-se que a Operação Embondeiro termine em Novembro de 2019, altura em que a CVP deixará a Beira com a capacitação de técnicos locais e com obras feitas.

Numa perspectiva de prestação de contas a todos os cidadãos Portugueses e demais entidades que de alguma forma contribuíram para esta Operação Humanitária, foi solicitada a colaboração de um Auditor externo de renome, que garante a transparência e a correcta utilização dos fundos angariados.