Doar

Pesquisa Facebook Instagram Twitter Flickr redes youtube

Encontre aqui a Cruz Vermelha mais próxima de si.

quinta-feira, 10 março 2022 17:39

[Iniciativas] Ucrânia: São Carlos promove récita solidária para apoiar as populações afetadas pelos conflitos na Ucrânia


Dia 20 de março, domingo, às 16H00: receitas angariadas reverterão integralmente para apoiar as duas entidades que prestam auxílio no terreno às vítimas do conflito Lisboa, 10 de março de 2022 – No próximo dia 20 de março, domingo, pelas 16H00, no Teatro Nacional São Carlos, subirá a palco uma sessão extraordinária da ópera La bohème (em cena de 11 a 19 deste mês) dedicada à Crise Humanitária na Ucrânia. Um espetáculo solidário cuja receita reverterá integralmente  para a Cruz Vermelha e para a UNICEF, instituições que estão a trabalhar todos os dias no apoio às pessoas deslocadas.


Esta é uma iniciativa do OPART/TNSC que se associa à UNICEF Portugal e à Cruz Vermelha Portuguesa na angariação de fundos para apoio à resposta à emergência atual que exige uma capacidade de intervenção e cuidados de emergência com profissionais qualificados, assim como de outros serviços críticos para a proteção de todas as pessoas deslocadas, em particular mulheres e crianças.


Os bilhetes estão disponíveis online em https://www.bol.pt e nas lojas FNAC, Worten, El Corte Inglès, Agência ABEP, CTT, Serveasy e Pagaqui, com valores entre os 20€ e os 65€.


Conceição Amaral, Presidente do OPART, E.P.E., destaca que “o universo em que o OPART e o Teatro Nacional de São Carlos se movem, da Arte e da Cultura, é na sua essência um espaço que convida ao diálogo e ao respeito pela multiculturalidade e, nesta medida, de aproximação entre os povos e de cultivo da Paz. Neste quadro, a realização de uma récita solidária trata-se de um imperativo moral perante a sociedade e perante os artistas que se encontram impedidos de prosseguir a sua missão nos territórios afetados por este terrível conflito. É com a nossa música, canto e ópera, e também com os nossos artistas e parceiros, que esperamos fazer a diferença junto do povo ucraniano”.


Beatriz Imperatori, Diretora-Executiva da UNICEF Portugal, sublinha que “a UNICEF é uma instituição que age globalmente na promoção e defesa dos direitos das crianças e financiada inteiramente por contribuições voluntárias. Esta iniciativa do Teatro Nacional de São Carlos vem mostrar que todos nós, na medida do que nos é possível, podemos contribuir de alguma forma para apoiar aquelas pessoas, famílias, mulheres e crianças que, neste momento, atravessam uma realidade sem precedentes e de emergência humanitária. A cultura é uma das formas de unir as pessoas e de defender direitos que são universais para qualquer ser humano. Mais de meio milhão de crianças na Ucrânia e nos países vizinhos precisam de recuperar alguma normalidade nas suas vidas e esse o trabalho que a UNICEF faz todos os dias no terreno graças aos donativos que recebemos e que são fundamentais para que possamos continuar a apoiar os que me mais precisam no terreno, adquirindo o que é essencial.”


Segundo Ana Jorge, Presidente da Cruz Vermelha PortuguesaEstamos a viver momentos muito difíceis na Europa e reconhecemos a imensa generosidade das pessoas numa causa que já sentimos ser de todos nós. Esta iniciativa promovida pelo Teatro Nacional S. Carlos revela-se muito interessante porque permite que as pessoas contribuam para uma causa realmente nobre, podendo usufruir de um espetáculo magnífico. Mais de 2 milhões de pessoas já foram assistidas pela Cruz Vermelha e Crescente Vermelho no terreno e muitas outras recebem agora o apoio das sociedades da Cruz Vermelha vizinhas da Ucrânia. Água, abrigo, alimentação e segurança continuam a ser as necessidades mais prementes e os donativos monetários são a melhor forma de conseguirmos dar uma resposta efetiva e sustentada no tempo às populações afetadas por estes conflitos. Apelamos a todos que contribuam, podendo, através deste evento, enaltecer também a cultura e a arte".


La bohème, de Giacomo Puccini, é um enérgico e poético retrato do quotidiano de um grupo de jovens amigos artistas e é, muito justamente, considerada “a ópera da juventude”. O libreto é de Giuseppe Giacosa e Luigi Illica, segundo Scènes de la vie bohème, de Henri Murguer.

Com um elenco liderado por Susana Gaspar (Mimì) e Gianluca Terranova (Rodolfo), a ópera é também interpretada pelo Coro do Teatro Nacional de São Carlos e pela Orquestra Sinfónica Portuguesa, e conta ainda com a participação do Coro dos Pequenos Cantores da Academia de Amadores de Música. A direção musical é de Domenico Longo e a encenação é de Emilio Sagi.

Partilhar